Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos
2010 - Uma Nova Estrada. 
 
Encerradas as festividades do Ano Novo, apresenta-se uma nova página a ser preenchida. As primeiras linhas, geralmente, manifestam a percepção do tempo que passou e que 2010 também passará rapidamente. Então, surge à pergunta: o que fazer para aproveitar o ano, o máximo possível? A resposta para esse questionamento é muito pessoal, portanto, qualquer aconselhamento deve servir apenas para nortear o próprio pensamento, que é o que realmente vai fazer a diferença na caminhada do novo ano.
Diante dessa nova etapa do caminho, podemos aproveitar o aprendizado do ano anterior para simplificar e aproveitar mais o passeio. Se já sabemos que nesta estrada também existem pedágios e alguns, inesperados, então reserve um recurso extra e, se possível, facilite o troco para não perder tempo na cancela. Ao encontrar buracos e outras ocorrências imprevistas, lance mão do estepe e do telefone de emergência. E assim, se compararmos 2010, com uma estrada a ser percorrida, encontraremos inúmeras analogias com a vida real que vai além dos pedágios, dos buracos, do fluxo e contra-fluxo intensos de veículos, de todos os tamanhos e modelos, que exigem cuidado e atenção constante, como as atividades e relações do cotidiano.
No entanto, não existe nada mais desagradável que buracos. Cair em um deles é, no mínimo, sentir um solavanco ou até sofrer um acidente fatal. Esses buracos, físicos ou não, são um verdadeiro perigo em qualquer estrada, exigem prudência e atenção durante todo o trajeto. Saber identificá-los a tempo, permite realizar manobras e utilizar desvios para não cairmos neles, pois cair em um buraco, muitas vezes nos consome todo o prazer da viajem e tudo o que conseguimos aproveitar ou lembrar do passeio da vida estará ligado ao tal buraco que nos metemos.
Um dos perigos mais comuns para quem entra num buraco e não perceber que se esta nele e, conseqüentemente ver tudo do restrito ângulo que nos encontramos, sem ter como ver o horizonte e olhando constantemente para um paredão à frente, tudo parece não ter solução. Frente a essa situação começamos a pisotear e quando percebemos, já estamos no fundo do poço que nós mesmos cavamos. Afundamos cada vez mais, esquecemos de olhar para cima e ver que o céu existe, que um mundo de oportunidades e excitantes experiências estão a nossa espera.
Por tudo isso, o meu primeiro conselho seria evitar cair em buracos, especialmente quando você já os conhece; troque de caminho, faça os desvios e principalmente tente tapá-los, superando-se a cada dia, pavimentando seu caminho com criatividade e amor. Considero essa questão importante, pois muitos seguem todo um ritual para atrair boas energias para o ano novo, porém, esquecem de abandonar seus buracos e, pior, insistem em carregá-los, parece que amam viver com eles. O segundo conselho é derivado do primeiro, ou seja, ajude a todos aqueles que precisam sair dos tais buracos, porém não exceda o limite.
Não exceder o limite é o terceiro destes meus conselhos genéricos, pois quando insistimos em querer ajudar alguém que não quer sair do seu poço, acabamos entrando no mesmo poço. E nada de achar que é nosso dever cristão, não desistir. Às vezes, Deus nos coloca diante de encruzilhadas sem placas de sinalização, para que exercitemos o livre arbítrio do próprio crescimento e, então, percebermos que temos nossos próprios buracos para tapar, nossa própria estrada para percorrer. Tenho infinitos “conselhos” que tento dar a mim mesmo, mas para terminar, lembre-se que o próprio umbigo é importante, mas pelo amor de Deus, perceba que o mundo vai além do que gira em torno do seu.
Depois de falar tanto em buraco e estar deixando uma mensagem não tão entusiástica quanto aquelas que costumam circular na rede, tomo a liberdade de pedir que observem atentamente a forma como conduzem suas vidas, de modo a excluir qualquer possibilidade de cair num buraco, ou ainda de estar vivendo em um.
Se, por um acaso você identificar a possibilidade de estar caminhando para um buraco, ou já estar dentro dele, trate de agir e perceba que o ano novo significa novas oportunidades; erga a cabeça e veja que o céu existe; que o sol brilha para todos e que você pode sair deste buraco com suas próprias forças. Se, eventualmente, precisar de ajuda peça e confie que a terá.
Espero que o ano novo seja uma viajem por um caminho pavimentado, cheio de oportunidades e experiências de crescimento; que os obstáculos sejam encarados como uma aventura. Perceba que você é o único condutor que pode levar a sua vida a um lugar melhor, mas é preciso saber dirigir, o que implica em conhecer pelo menos algumas regras para poder conduzir o veículo da vida pelos caminhos de 2010. Que Deus está nos oportunizando um novo recomeço, não somente no ano novo, mas em cada novo dia, nova hora e pulsar do coração. Aproveite para ser mais disciplinado e objetivo na condução dos seus propósitos, mas, fundamentalmente, aproveite a vida para ser feliz. Descubra a magia de ser feliz através da felicidade do outro. Feliz Ano Novo.

Outros textos de Ano novo:
Ano Novo, novos sonhos
Renovação da Esperança

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 28/12/2009
Alterado em 28/12/2009
Comentários