Textos


Meu PAI é o Cara.

O dia dos Pais, ao que tudo indica, teve origem da mesma forma que o dia das mães: da idéia de criar datas para fortalecer os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deram a vida. Dizem que o primeiro a comemorar o dia dos pais foi um jovem chamado Elmesu, na Babilônia, há mais de quatro mil anos. Ele teria esculpido em argila um cartão para seu pai. Mas, a instituição da data para comemorar esse dia todos os anos é recente. Os registros históricos atribuem a uma moradora, chamara Sonora, filha de um veterano da guerra civil americana, da cidade de Spokane em Washington.Orgulhosa de seu pai, que criou seis filhos sozinho em função de ter perdido a esposa durante o parto do último, teve a idéia de celebrar o dia dos pais, após ouvir um sermão dedicado as mães, como uma forma de homenageá-lo pelo sacrifício, amor e por ter superado todas as dificuldades sem a ajuda de ninguém.

Assim sendo, pediu auxílio para uma entidade de Jovens Cristãos da cidade, e em 1909 o primeiro dia dos pais norte-americano foi comemorado dia 19 de junho, no dia do aniversário do seu pai. No ano seguinte a cidade já organizava a primeira comemoração.

A rosa foi escolhida como símbolo do evento, sendo que as vermelhas eram dedicadas aos pais vivos e as brancas aos falecidos. A partir dessa data as comemorações só aumentaram e, finalmente em 1966 uma proclamação presidencial oficializou o terceiro domingo de junho como o Dia dos Pais. No Brasil, a data começou a ganhar espaço em 1953, com o publicitário Sylvio Bhering e o jornal O Globo do Rio de Janeiro, que se propôs a incentivar a celebração em família, baseado nos sentimentos e costumes cristãos. O primeiro dia dos pais foi comemorado no dia de São Joaquim, patriarca da família. Mas, como o domingo era mais propício para as reuniões de família, a data foi transferida para o segundo domingo de agosto. Obviamente que os fins comerciais também contribuíram.

Independente de como a data se incorporou na nossa cultura, o pai sempre teve e tem posição de destaque na vida do filho, seja positivo ou negativo, ele é referencial. É claro que, assim como a mãe, ele também muitas vezes assume o papel dos dois, apesar de pouco difundido, pois a nossa sociedade ainda não lhe dá o mesmo destaque. A referência da família tradicional ainda está centrada no Pai, não que a família dependa dele para existir, mas porque a sociedade ainda não encontrou uma forma de estrutura-se mais adequadamente. Neste dia não cabe discutir a importância do pai porque sabemos que é inegável seu valor e o papel que ele desempenha é insubstituível em nossa vida.

Quem não passou a ver o pai como novos olhares a cada fase da vida. Particularmente lembro que na minha mais tenra idade ele representava o que se poderia definir como um super-herói que fazia e podia tudo, além da esperteza. Depois foi se tornando um pouco obsoleto e já não parecia tão super assim, porque me envergonhava às vezes diante dos coleginhas. Alguns anos após, veio à comprovação de que ele era mesmo antiquado, mas tinha alguns momentos de serenidade e parecia entender de algumas coisas, fruto de suas experiências, é claro. Um pouco mais tarde passou a ser meu consultor por ter muita experiência e tornou-se conselheiro para tudo.

As fases da vida e os diferentes pontos de vista em relação ao pai são quase que regras universais e foram brilhantemente expressas pela escritora americana Ann Landers em um texto intitulado “meu pai quando eu tinha...”.

Geralmente só reconhecemos a sua inteligência e sua forma “masculina” de amar, quando não podemos mais consultá-lo e passamos a lamentar profundamente o quanto deixamos de aprender com ele.

Portanto, aproveite este dia dos pais e diga a ele quanto você o ama. Independente do momento em que você se encontre, pois acredite, ele te ama. Talvez de uma forma um tanto incompressível às vezes e com certos preconceitos que acredita ter o dever de preservar, mas que lá no intimo bate bem forte aquele coração de pai, de ser humano igual ao nosso, capaz de sacrificar-se ao extremo pelo filho. Existem pais de todo o jeito e filhos de todo o tipo, mas o amor os torna únicos e inseparáveis.

Hoje, as mudanças sociais oferecem aos pais mais oportunidades para que possam expressar seu amor aos filhos e as esposas, sem os infundados e históricos preconceitos machistas. Se de um lado as mulheres avançam em suas conquistas pela igualdade, o homem também tende a igualar-se, especialmente na forma de expressar seu amor. Saber que somos amados é gratificante, nos deixa seguros e felizes. Assim como, sentir e ter esse amor ofertado diariamente nos impulsionará para uma vida bem mais terna e feliz.

É nesse dia, onde os corações devem transbordar de amor, que qualquer indicio de barreira seja instantaneamente eliminado, iniciando-se a construção de uma relação mais aberta, amorosa e franca, entre pais e filhos. Há tanto para se falar do pai, tanto o quanto é infinito falar das mães, dos filhos e da família.

No entanto há um sentimento que une tudo isso, que vai além dos laços sangüíneos. O amor. Se houver amor, esse dia dos pais será o melhor dia da sua vida, não somente pelo dia, mas também por estar permitindo que amanhã o amor cresça e se fortifique. Todavia, lembre-se que uma boa regada vai fazer com que ele cresça muito mais bonito e forte. Mas não espere o próximo dia dos pais para fortalecê-lo, cultive-o diariamente.

Veja Também: Homenagem ao Dia dos Pais

 

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 02/08/2007
Alterado em 09/08/2014


Comentários