Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos


É impossível agradar a todos.
 
Sempre que eu fazia algo que desagradasse alguém, minha avó dizia: “é impossível agradar a todos”. Eu sempre entendi essas palavras como um incentivo pelas minhas mancadas, mas com o passar do tempo aprendi que esse ditado é verdadeiro e extremamente útil para toda a vida, apenas complementaria a frase com, o tempo todo.
Na maioria das vezes quando escrevo alguma coisa para motivar aqueles que estão desanimados, desmotivados e sem entusiasmo para enfrentar os desafios da vida, surgem na defensiva os céticos, os críticos com uma fúria implacável lançando, diante do que leram, todas suas descrenças, frustrações e pessimismo. Reagem como se eu tivesse apunhalado suas “inabaláveis convicções” só porque procuro mostrar que podem desenvolver sua capacidade interior e tornarem-se pessoas melhores e mais felizes.
Todavia, o que me intriga é que aqueles que mais discordam da autoajuda, não deixam de ler o que escrevo e principalmente se sentem contrariados quando proponho um novo jeito de pensar e ver a vida. Se suas convicções fossem realmente estáveis e imunes a novas ideias, não se dariam o trabalho em criticar o autodesenvolvimento. A maioria dessas pessoas convictas que não acreditam em nada além do tradicional, do concreto e objetivo, enfim do seu restrito modo de pensar, são as mesmas que dizem não acreditar nas previsões do horóscopo, no entanto, sabem detalhes de seu signo e principalmente não deixam de ler as previsões diárias.
O mesmo ocorre em relação à fé, seja em qual crença for, ninguém ainda conseguiu demonstrar cientificamente os benefícios da fé, mas, com exceção de alguns céticos, todos temos fé e recorremos a ela sempre que nos sentimos impotentes. A autoajuda é uma forma de despertar para as inúmeras possibilidades humanas, embora seus méritos e benefícios ainda não possam ser comprovados, os resultados já podem ser observados na motivação e felicidade das pessoas.
Falar do que nos impulsiona para seguir diante das dificuldades do dia a dia, conhecer melhor nossos anjos e demônios internos, sentimentos e ilusões não é algo infrutífero, é uma ação concreta para o crescimento e desenvolvimento das pessoas. Embora alguns não necessitem de qualquer incentivo ou mesmo conheçam suas limitações, existem os que necessitam destas palavras para despertar, ingressar ou apenas continuar a caminhada evolutiva. Não podemos esquecer que, embora sejamos todos iguais, vivemos estágios evolutivos diferentes, portanto temos diferentes necessidades. É importante respeitar pensamentos e crenças diferentes, sob pena de considerar-se superior, o que não é nada útil para quem quer crescer como ser humano.
Os desafios diários são as provas para avançarmos. Alguns não encontram razões para lutar, e com isso não avançam, não crescem e consequentemente não contribuem para uma sociedade melhor. Outros não conseguem ultrapassar as dificuldades sozinhas, muitas sequer tentam, mas encontram em algumas palavras de incentivo à força para seguirem em frente. O valor dessas palavras é medido pelo efeito que fazem, não pela profundidade, significado ou beleza; elas podem ser apenas palavras e não produzir qualquer efeito na vida dos descrentes iluminados, mas podem ser a força para continuar vivendo dos desmotivados.
Embora a consciência humana tenha evoluído e despertado para uma visão mais ampla da vida humana, algumas formas de pensar correspondem ao início do século passado, as inovações tecnológicas foram aceitas e incorporadas com benefícios, mas o pensamento e a ampla aceitação da espiritualidade, potencialidades e significado da vida humana ainda são preservados como nos primórdios. Até mesmo as lições do mestre Jesus, ganharam interpretações convenientes aos interesses dominantes, de modo que as diferenças prevalecessem e assim o poder pudesse ser mantido. Demonstrar as iguais possibilidades e potencialidades humanas continua sendo uma ameaça, porém chegou o tempo de acordar para os novos tempos.
Incentivar as pessoas a acreditarem em suas potencialidades e seguirem superando seus limites é mais que propagar autoajuda é contribuir com o desenvolvimento do ser humano, da sociedade e da igualdade entre os homens. Quando alguns classificam a autoajuda como subliteratura ou ilusão temos que respeitar, sob pena de sermos tão restritos quantos eles, porém não perceber sua contribuição na melhoria da qualidade de vida de milhões de pessoas é não querer ver a realidade.
Despertar para a possibilidade de aceitar seus desafios como uma forma de crescimento, mesmo que seu único obstáculo seja aceitar naquilo que outros acreditam e pensem diferente do seu modo. Mas, se ainda não estiver preparado não se preocupe, pois os defensores da autoajuda sabem e estão convictos de que não conseguem agradar a todos. Boa semana.
Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 15/04/2010
Alterado em 03/04/2015
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários