Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos

Insistência inútil.
 
Se tem alguma coisa que me tira do sério, é a insistência inútil. Trata-se daquela ação persistente de tentar conseguir determinadas coisas mesmo sabendo que não existe a possibilidade de consegui-las. Concordo que muitas vezes é necessário insistir mesmo diante de alguma resistência ou até mesmo de um não bem explicito. Contudo, não é dessa insistência justificável a que me refiro. Trata-se daquela insuportável marcação, como se fosse perseguição, que algumas pessoas fazem para tentar obter algo que não podemos ou queremos disponibilizar.
Agora mesmo, enquanto trato de escrever essas primeiras linhas, já fui interrompido duas vezes pela insistência de uma pessoa que deseja algo que não posso oferecer. Não se trata de falta de solidariedade ou de ser egoísta, nem tampouco de não ter explicado claramente as razões da impossibilidade, no entanto a pessoa continua a insistir. Fico me perguntando o que leva alguém inteligente e bem esclarecido a repetir insistentemente a mesma ação.
Posso imaginar que em envolvimentos emocionais isso até possa ocorrer à vista do universo de sentimentos que podem estar interferindo, mas assim mesmo existe um ponto que precisa ser respeitado. É difícil de entender que alguém possa continuar insistindo quando a situação é clara, perfeitamente compreensível e já foi devidamente explicada.
Muitas vezes essa insistência inútil é tão intensa que ultrapassa o tolerável e alcança a falta de educação, não só de quem a provoca, mas também de quem sofre a ação. É uma amolação que só faz crescer a antipatia e a repulsa com a pessoa que tanto insiste. Essa teima em perseguir um objetivo é algo saudável e que merece ser elogiado, porém precisa encontrar alguma ressonância no interlocutor ou possibilidade de realização pelas próprias forças. Ir além das próprias possibilidades através de pensamentos elevados e sonhos de realização é saudável, no entanto não podemos interferir na livre escolha do outro.
A obstinação em alcançar os objetivos é algo totalmente diferente da insistência infernal de querer conseguir algo através da ação de outro. Ser tenaz e perseverante é fundamental e importante para o crescimento pessoal e a prosperidade, mas deve ser feito de forma a não prejudicar e nem constranger ninguém. Essa insistência desproporcional, geralmente, esconde a fragilidade e a incapacidade da pessoa em individualizar-se, em acreditar em si e desenvolver a autoestima e o amor próprio.
Empregar esforço e energia insistindo em algo que não tem solução não é racional e sequer inteligente, pois, além do próprio desgaste, desgasta todos os envolvidos, chegando a provocar, indignação. O limite entre a perseverança e a insistência incomoda requer bom senso e a capacidade de se colocar no lugar do outro. Insistir, muitas vezes, é sinal de egoísmo, de falta de respeito e princípios morais.
Lidar com pessoas insistentes pode ser um excelente aprendizado para a tolerância, mas também um ótimo exercício para exercitar o não. Saber dizer não no momento certo e principalmente mantê-lo pode ser algo muito difícil, ainda mais quando não se quer magoar o outro. É frequente nas relações amorosas, devido à insistência, ouvirmos relatos com desfechos trágicos. Esse tipo de obsessão doentia de um pelo outro pode ir além da relação de desejo ou amor e relacionar-se com a falta de limite quanto ao espaço, o desejo e o livre arbítrio da outra pessoa.
Nas relações pessoais é fundamental respeitar os limites de cada um, insistir em querer alcançar algo através do outro é ultrapassar os limites do ego, da moral e da educação. O desejo pessoal tem todo o direito de se realizar, desde que não afete o desejo do outro. Qualquer tentativa para fazer prevalecer à própria vontade enfraquece o relacionamento e fortalece o egoísmo. A insistência é uma forma de pressionar a liberdade do outro, tolher-lhe a espontaneidade e o livre arbitro, submetendo-o a nossa vontade.
Insistência, obstinação e perseverança fazem parte das virtudes dos grandes conquistadores e são fundamentais para progredirmos na vida, portanto devemos procurar desenvolver cada vez mais essas características em nossa personalidade. O objetivo deste texto é alertar para a insistência inútil, aquela incômoda situação que com freqüência somos submetidos, sempre com o objetivo de nos exigir algo que, por algum fato estamos impossibilitados de atender, porém jamais para restringir a busca de sonhos e ideais mais elevados. Boa semana.

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 24/03/2010
Comentários