Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos
Manifestações do Ego.
 
Constantemente podemos ver a manifestação do ego, ele esta sutilmente presente em quase todas as ações e comportamentos, basta um pouco de atenção e veremos o ego assumindo os mais variados papeis na vida das pessoas. Fica ainda mais evidente em alguns grupos, como na política e nas artes, onde a ilusão humana encontra terreno mais fértil, uma vez que o ego é uma autoilusão.
Comecei a perceber a ação do ego através do comportamento de uma senhora chamada Catarina, que vivia próximo às terras do meu pai. Essa senhora era um mistério, nunca consegui entendê-la, pois assumia os mais diferentes papeis diante dos acontecimentos da vida. É claro que temos muitos inconvenientes, a ponto de adotar posições opostas em situações idênticas. No entanto, ao longo do tempo encontrei várias explicações para esse comportamento, mas nenhuma parecia prevalecer até o momento em que entendi as várias manifestações do ego.
O ego quando enraizado nos faz tomar posições equivocadas, como sempre querer ter razão, estar em constante evidência, entre tantos outros papeis que ele nos impõe ainda nos empurra para comportamentos inadequados. O mais evidente é o que se relaciona com a vaidade, a fama e o poder, porém ele também pode nos levar a fofoca, a mentira e outras atitudes equivocadas, apenas para manter-se vivo. Aliás, uma das facetas do ego ainda é parecer indefeso, humilde e necessitado, só para chamar a atenção.
O ego é capaz de destruir uma pessoa sem que ala perceba, um exemplo são aquelas pessoas que perdem tudo na vida, não somente nas questões materiais, como também passam por cima dos amigos, parentes e qualquer um que se atravessar no caminho para alimentar seu ego. Quem não conhece alguma pessoa que conseguiu ser bem sucedida e próspera e perdeu tudo por causa do ego. Falo do ego que geralmente se disfarça de um sonho, um ideal, e nessa falsa justificativa encontra a razão de continuar levando a pessoa à autodestruição. Ele consegue unir-se a pessoa e passar a determinar todos os seus atos, como se fosse sua consciência. O ego é uma espécie de vírus que toma conta do pensamento e passa a dominá-lo completamente. As manifestações podem confundir-se com outros distúrbios de personalidade, mas muitas vezes ele é o único responsável.
O ego trabalha de forma tão sutil, que pode se fazer presente até mesmo numa pessoa tímida. Ele a impede de agir naturalmente com medo de ser descoberto e destruído, neste caso prefere esconder-se e assumir o papel de coitadinho do que se manifestar vaidosamente. É difícil identificá-lo em suas ações mais sutis, porém é necessário para impedir que se instale e assuma a nossa personalidade. Uma vez identificado é facilmente destruído, por isso ele se disfarça de várias formas, sendo a raiz de muitas tristezas, frustrações ou mesmo sonhos equivocados.
Uma das ações mais comuns é querer ser reconhecido e valorizado, o que seria justo diante de iniciativas e ações concretas e equilibradas, obviamente que até certo ponto, mas não diante da vaidade e ilusão. Todavia, o mais comum é ver o ego manifestando-se através da fofoca, da futilidade e mediocridade. Na fofoca, por exemplo, ele se satisfaz ao perceber que detém uma informação, mesmo sendo falsa, mas que o outro não tem, isto é, sente-se superior por possuir algo a mais que o outro. A falsa benevolência e a tentativa de dar um caráter social às ações pessoais são mecanismos que o ego utiliza para colocar em prática suas pretensões e fortalecer-se. Nossos talentos e a habilidades para determinadas atividades destinam-se a proporcionar benefícios a nós mesmos e a sociedade, mas quando contaminadas pelo ego tornam-se ferramentas exclusivas para alcançar a própria satisfação pessoal e o poder.
Para entender a complexidade e a profundidade das ações do ego, é preciso deixar de lado o achismo e mergulhar na profundez deste assunto, algo que não pode ser feito neste curto espaço, mas que merece ser dissecado, visto os danos que pode causar em nossas vidas. Embora as ações perniciosas do ego devam ser mais bem entendidas e combatidas, ele também pode assumir um papel importante para o nosso crescimento. Assim, muitas pessoas encontram no ego o combustível para desenvolver-se, embora moralmente possam deixar a desejar, prosperam materialmente fugindo de mazelas piores, como a pobreza.
A destruição do ego passa pela tomada de consciência, pois á através da identificação dos papeis que o ego assume que conseguimos nos conhecer melhor, isto é, identificar o que é nossa verdadeira essência do que é contaminação do ego. O ego contamina o padre, a mãe e qualquer um de nós em algum momento, porém não podemos deixar que se aposse das nossas virtudes e valores, tornando-se uma espécie de consciência cinza a nos guiar. Se não é fácil identificar as manifestações do ego nos outros, em nós mesmos então, torna-se uma tarefa extremamente difícil, pois ele sempre esta associado a uma das nossas franquezas ou qualidades. Portanto, precisamos de muito cuidados com os nossos comportamentos e desejos a fim de identificar a originalidade e pureza das nossas atitudes, descartando qualquer possibilidade de contaminação pelo vírus do ego. Boa semana.
Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 18/03/2010
Comentários