Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos

Gente fina.                                                                           

            Muitas vezes sem saber o porquê, uma música qualquer nos invade e passamos a cantarolá-la o dia inteiro. Agora mesmo, enquanto tento me concentrar para escrever algo produtivo, tenho minha atenção desviada para os versos da música de Lulu Santos: “eu vejo um novo começo de era / de gente fina, elegante e sincera /com habilidade pra dizer mais sim / do que não…”.

            Diante disso, decidi abandonar o assunto que pretendia abordar e aceitei estes versos como um “sinal” para escrever algo mais leve, mais primaveril, ou melhor, mais gente fina, elegante e sincera, fiquei imaginando como seria uma pessoa gente fina e se conheço alguma. Embora seja muito comum utilizamos a expressão “gente fina” para qualificarmos uma pessoa, aqui, me restrinjo àquelas pessoas que só conseguimos ver boas qualidades e comportamentos adequados em qualquer situação.

            O verdadeiro gente fina vai muito além de ser o cara: ele é um uma espécie de ser superior que domina a arte de engolir sapos sem precisar digeri-los; não é prepotente ou arrogante sem ser submisso e defende-se com precisos “tapas de luva”; adapta-se ao ambiente e deixa todos à vontade em qualquer lugar.Ele transgride de modo a não agredir porque opina sem julgar; é honesto; sincero; amável, chegando às vezes, a provocar dúvida nos mais desconfiados, ou seja, classificá-lo é algo extremamente difícil e, por ser tão especial, queremos tê-lo por perto.

Essas pessoas sem dúvida, são raras e admiráveis, portanto muito imitadas requerendo, inclusive, um certo cuidado, uma vez que existem boas falsificações. Não sei se essas pessoas nascem com esse dom, chamo de dom porque me parece ser mais um presente divino do que uma qualidade adquirida, apesar de não ter qualquer dúvida que essa é uma qualidade que pode ser adquirida e aperfeiçoada constantemente.

            As pessoas gente fina têm facilidade em nos transmitir entusiasmo, motivação e bem estar, isso por si só já as torna especiais, visto que essas são preciosidades muito escassas nos dias atuais. Mas, para falar o mínimo dessas pessoas é preciso ir além, talvez tão além que somente um gente fina poderia descrever e, neste aspecto não sou qualificado para fazê-lo, mas me atrevo a imaginar o tamanho do esforço que estes indivíduos fizeram para alcançar esse nível de comportamento, pois não deve ser somente dom divino. Ser gente fina em alguns momentos, dias, ou messes é algo possível para qualquer um, mas o tempo todo, sete dias por semana é algo realmente para poucos.

            Sei que para alcançar uma meta, transpor um obstáculo é preciso persistência, determinação e muito exercício. Quando o ideal ainda esta longe de ser alcançado é fundamental praticar com mais intensidade, mesmo que por apenas algumas horas por dia, pois é através da repetição que se aperfeiçoa a rotina e se incorpora um habito. Este por sua vez, é o principio dos atletas de ponta e dos vencedores que pode ser sintetizado pela seguinte frase: sem dedicação não há vitória.

            Desenvolver atitudes mais positivas é o alicerce para enfrentar os novos tempos, nos quais, não haverá espaço para negativismos de qualquer natureza. Precisamos nos preparar para os novos tempos de mais alegria, prosperidade e paz, onde a solidariedade e o amor ditem o caminho a percorrer. É neste espírito que os verdadeiros gente fina vivem, pois já compreenderam e por isso se prepararam para viver com mais harmonia entre todos os seres vivos. Estas pessoas captaram, talvez até de forma um pouco inconsciente, que a essência humana é de harmonia, paz e tranqüilidade e os eventuais desequilíbrios são apenas exercícios para a evolução. No novo mundo que se aproxima e, por favor, não entendam isso como uma profecia, mas apenas uma constatação de que a vida evolui e, portanto algo de novo virá. E por ser uma pessoa que acredita na justiça divina, tenho absoluta convicção de que basta sermos merecedores que uma vida nova, melhor e mais feliz se abrirá a nossa frente.

            Exercitando o talvez, me permito associar a música tempos modernos do Lulu Santos como uma mensagem para que cada um possa se permitir a mudar, a deixar-se levar pelo amor, pela paixão de viver e descobrir que somos todos um só. Tudo o que fazemos repercute no universo. O amor se liga ao amor, a inveja se liga na inveja e assim vai se propagando conforme escolhermos qual a freqüência que queremos nos sintonizar, qual energia captar, enfim, tudo isso é uma opção importante que deve ser feita, mas antes é preciso definir o que realmente se quer, para então podermos direcionar a antena e os esforços na direção certa.

Gente fina, tempos modernos e evolução são questões ligadas, embora difíceis de definir, mas é fundamental não associá-las a desesperança e negatividades para não repetirmos uma triste canção, cuja melodia além de duvidosa da sinais de estar nos últimos acordes. Aprenda a dizer mais sim do que não, espontaneamente, e descubra a alegria de um gente fina. Boa semana.

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 30/09/2009
Alterado em 01/10/2009
Comentários