Jair A. Pauletto
O Singular do Plural
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Textos
O Amor incompreendido

 

Um amor que move o chão;

Faz tremer o trovão;

Ignora a razão;

E entrega o coração

Na palma da mão.

 

É este amor que tenho te dedicado,

De longe, calado,...

Um amor acalorado, bronzeado,

Suado, incompreendido...,

Que chamas de bandido ou safado.

 

Mas é um amor febril,

Que tomou conta de mim.

De tanto queimar, afoguei-me no mar

De lágrimas a rolar,

Por este amor infinito, superior...

 

Este é o amor que não compreendes

Que te faz vibrar, viver e chorar.

Enche de alegria, a vida vazia,...

Um amor não declarado,

Mas inteiro e faceiro.      

      

É este amor incompreendido,

Que dizes ser parcelado, fatiado...

Que tenho lhe dado noite e dia.

Cansado de ser rejeitado,

Imploro ajoelhado:

Acredite!

Só tenho te amado.

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 09/10/2008
Alterado em 14/04/2016
Comentários
Capa Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links